Siga-nos no Facebook
Tupinikim

Pessoas interessantes

Pessoas interessantes

Crônicas, contos e poesias

Pessoas interessantes

Pessoas interessantes são como estradas: Elas sentem aquele comichão no peito que as faz seguir e continuar, passo a passo, rumo ao desapego e ao novo.

Por Josie Conti

Pessoas interessantesÉ incrível perceber o quanto as pessoas interessantes são parecidas com estradas. Elas sentem aquele comichão no peito que as faz seguir e continuar, passo a passo, rumo ao desapego e ao novo. Nem sempre são estáveis, porém, são profundamente interessantes, pois, não temem experimentar na pele, novas possibilidades. Cada situação de busca e possível encontro é alimento para alma e para o conhecimento. O olhar fica a frente, a sensibilidade ao lado. O familiar é fonte de respeito e conhecimento. Talvez exista uma ruga a mais em alguns momentos perante a indecisão, porém, o brilho nos olhos é mais radiante.

O homem é um ser desejante, desde o nascimento é vorazmente carente de estímulos, novas sensações e conhecimentos. Penso que quando a pessoa canaliza essa energia de busca para algo saudável, ela é alguém com objetivos prioritariamente construtivos. Ela pode ser “faminta” por conhecimento, por aventuras, viagens, por amores. Porém, quando essa mesma energia é canalizada na busca de sensações de prazer, mas que não acrescentam um conteúdo simbólico como, por exemplo, o consumismo exagerado, que é uma marca tão forte de nossa geração, percebemos a criação de um novo perfil de dependentes que, embora não sejam usuários diretos de uma substância química, não sobrevivem sem seus prazeres efêmeros. Logo, se não consumem, imediatamente sentem-se vazios e entristecidos.

A energia do homem precisa ser canalizada para algo que lhe forneça uma identidade, um papel social. A pessoa precisa ter uma ocupação em que se sinta produtiva, mesmo que não seja remunerada integralmente. Precisa de reconhecimento de seu local no mundo e também precisa transmitir características que são só suas, o que caracteriza a herança cultural de um povo.

Porém, se o meio em que vive dita como, quando e com quem devo fazer algo, toda a espontaneidade acaba. Transformamo-nos em máquinas responsivas, não pensantes, ansiosas e muito angustiadas, pois, apesar dos bens alcançados, não existe realização pessoal real.

Acredito que precisamos sim nos enquadrar socialmente, porém, sem perder o olhar a frente e nem nossa criticidade. É necessário que saibamos o real motivo de nossas escolhas para que não retroalimentemos ciclos e mais ciclos de autossabotagem emocional.

Precisamos sentir mais, mesmo que o sentimento seja ruim. Precisamos questionar mais, mesmo que o rosto do colega não seja o mais satisfeito. Porém, mais do que tudo isso, precisamos viver mais e melhor. Enquanto estamos vivos, podemos aprender e mudar.

CONTI outra

Leia também:

Curta Tupikim no Facebook

Sobre o autor:

Blogueira e empresária. Após trabalhar anos como psicóloga, abandonou o serviço público para manter seus valores pessoais. Hoje, conjuntamente com sua equipe, trabalha prioritariamente na internet na administração funcional, editorial e publicitária de redes sociais e sites como CONTI outra, A Soma de Todos os Afetos e Psicologias do Brasil, além de várias outras fan pages que totalizam cerca de 9 milhões de usuários. Também escreve para as Revistas Contemporânea Brasil e Caminhos. É um exemplo de pessoa que mudou de profissão da área de atendimentos clínicos em saúde do trabalhador para reconstruir seu próprio caminho como editora de sites e blogueira. A formação em psicologia com passagens e especializações nas áreas da psicopedagogia, neuropsicologia, recursos humanos, clínica e saúde do trabalhador nunca foram perdidas e são utilizadas diariamente na escolha dos materiais, seleção de colunistas, em seus textos e vídeos . Acredita que a universidade deve ser um degrau construtor de conhecimento e senso crítico, mas nunca a definidadora de uma vida. – www.contioutra.com

Publicidade

Leia mais em Crônicas, contos e poesias

Siga TUPINIKIM no Facebook

POSTS RECENTES

Como reconhecer se um homem é emocionalmente inteligente

Autoconhecimento e desenvolvimento pessoal

Como reconhecer se um homem é emocionalmente inteligente

Por 20 de outubro de 2017
Quando seu filho se sente triste

Família

Quando seu filho se sente triste

Por 24 de julho de 2017
bater em uma criança
Tomar café prolonga a vida?

Saúde & Bem-estar

Tomar café prolonga a vida?

Por 11 de julho de 2017
Algumas dicas úteis para melhorar a autoestima

Psicologia e comportamento

Algumas dicas úteis para melhorar sua autoestima

Por 9 de julho de 2017

Buscar por categoria

Comentários

Curta Tupinikim no Facebook
Subir