Siga-nos no Facebook
Tupinikim

A Terapia do Olhar: 4 minutos que podem mudar um relacionamento

A terapia do olhar

Psicologia e comportamento

A Terapia do Olhar: 4 minutos que podem mudar um relacionamento

A Terapia do Olhar: 4 minutos que podem mudar um relacionamento

A terapia do olhar é capaz de reaproximar rapidamente olhares perdidos. Não é preciso muito, bastam duas pessoas, quatro olhos, quatro minutos e um pouco de boa vontade.

É importante olhar o outro nos olhos! Ao trocarmos olhares, alimentamos nossos relacionamentos, trocamos informações e falamos uns com os outros, até bem mais do que quando falamos com a boca.

Os olhos são a porta para a alma. É nos olhando que sabemos se o outro está bem ou mal, alegre ou triste, animado ou cansado… É olhando nos olhos que sabemos se aquilo que o outro diz é realmente verdadeiro. Enfim, o olhar é um componente básico para qualquer relacionamento.

O problema é que, por mais que gostemos das pessoas próximas, a correria do dia-a-dia, nossas preocupações e os tantos afazeres fazem com que nos olhemos pouco, bem menos que o necessário, bem menos até do que desejamos, mesmo que nem sempre tenhamos consciência disso.

E duas pessoas que desaprendem a se olhar, por mais que se gostem, terminam se afastando uma da outra, terminam se estranhando cada dia um pouquinho mais e tudo aquilo de bom e bonito que existiu entre essas pessoas e as uniu acabam sendo perdidas, muitas vezes de uma forma irreversível, irrecuperável.

A falta de olhares: algo típico da vida moderna

Seja sincero: você mesmo já deve ter percebido o quão pouco nos olhamos nos olhos, não? Quantas vezes você para em uma conversa para ver o que dizem os olhos do outro? Não estamos sempre tão ocupados em olhar para tantas outras coisas que deixamos de olhar verdadeiramente para o outro?

Nós olhamos para tudo, para o telefone, para a última mensagem no Facebook ou WhatsApp, para o cardápio no restaurante, para a manchete no jornal, para o carro que passa na rua ou para muitas outras coisas, mas nós quase não olhamos realmente para o outro , para quem está ao nosso lado, para essas pessoas tão próximas e importantes para nós.

Para completar, não somente não olhamos como também não somos olhados. Assim, somos, ao mesmo tempo, sovinas e carentes de olhares nos olhos, já que, se não olhamos, o outro também não pode nos olhar.

A boa notícia: é fácil reaprender a olhar!

A recíproca é verdadeira: se olhamos o outro nos olhos, ele também nos olhará, já que é impossível olhar nos olhos de alguém sem ser olhado de volta. E é exatamente aqui que está a solução para a o problema da falta de olhares.

Existe um exercício muito simples, a “terapia do olhar”, que é capaz de reaproximar olhares perdidos rapidamente. Não é preciso muito, bastam quatro olhos, quatro minutos e um pouco de boa vontade. Veja a seguir como a Terapia do Olhar funciona.

A Terapia do Olhar: quatro olhos, quatro minutos e um pouco de boa vontade que podem mudar o relacionamento!

Como dito, é muito simples: convide alguém que seja importante para você para fazer esse exercício: seu parceiro ou parceira, amigo ou amiga, seu parente ou qualquer pessoa próxima (mesmo que ela não se encontre muito próxima no momento!).

Sente-se então com essa pessoa, de uma forma que fiquem de frente um para o outro.

Vocês podem se sentar em qualquer lugar, pode ser em casa, numa mesa ou no sofá, no banco de um parque, num café, em qualquer lugar mesmo. O que importa é somente que vocês possam se olhar nos olhos e fixar o olhar um no outro por 4 minutos.

Pronto, é só isso. Olhem-se por 4 minutos! Vocês podem conversar ou ficar calados, vocês podem se tocar ou não, todo o resto não importa. O importante é somente isso: olhem-se por exatamente 4 minutos.

Faça isso com alguém que lhe é importante e você perceberá rapidamente como a qualidade de seu relacionamento irá melhorar. Não melhorará de vez, claro, mas esses 4 minutos já serão suficientes para dar um forte impulso, que pode ser reforçado no futuro através da repetição desse exercício. E é claro que a meta, a longo prazo, seria a de voltar a olhar para o outro sempre, no dia-a-dia, sem precisar “marcar encontro  para se olhar por 4 minutos” 😉

 O que acontece nesses 4 minutos?

Esse tempo (de 4 minutos) é resultado da experiência prática em estudos nessa área.

Você talvez esteja agora curioso, querendo saber o que acontecerá nesses 4 minutos. Sua curiosidade é mais que compreensível, mas não dá para explicar muito. É algo que tem que ser feito e vivido.

Faça o exercício e você mesmo verá. Afinal de contas, são apenas 4 minutos que você investirá num relacionamento que lhe é precioso. É tão pouco tempo que não custa nada tentar, não é mesmo?

A única coisa que se pode dizer é que algo mudará em seu relacionamento, pois ambos perceberão o quanto era grande o déficit de olhares entre vocês.


Depois de ter feito a sua Terapia do Olhar, você pode deixar um comentário aqui contando como é que foi sua experiência.

Curta Tupikim no Facebook

Leia também:

As doze tarefas – A missão de cada um dos 12 signos do Zodíaco

Continue sendo você. Alguém vai te amar por ser exatamente assim

Cortando o cordão umbilical: Os problemas de sua família não são seus

Os benefícios fantásticos do silêncio

Gostou? Compartilhe! Obrigado 🙂

Sobre o autor:

Equipe de redação do site

Clique aqui para comentar

Escreva um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Publicidade

Leia mais em Psicologia e comportamento

Siga TUPINIKIM no Facebook

POSTS RECENTES

Quando seu filho se sente triste

Família

Quando seu filho se sente triste

Por 24 de julho de 2017
bater em uma criança

Educação

Pense 20 vezes antes de bater em uma criança

Por 24 de julho de 2017
Tomar café prolonga a vida?

Saúde & Bem-estar

Tomar café prolonga a vida?

Por 11 de julho de 2017
Algumas dicas úteis para melhorar a autoestima

Psicologia e comportamento

Algumas dicas úteis para melhorar sua autoestima

Por 9 de julho de 2017
Depilação íntima e os perigos que representa para a saúde

Buscar por categoria

Comentários

Curta Tupinikim no Facebook
Subir